ASemana 36 anos.png
ASemana 36 anos.png
  

E aí, como explicar a vida?


(Foto: Divulgação)

A vida é inexplicável, não é mesmo, leitor?

O jogo da vida lança a sorte todos os dias e nós, os jogadores, não sabemos exatamente como o jogo vai acabar...

Vive-se para um propósito, dizem alguns...

Outros afirmam que cada um tem seu destino...

Outros ainda dizem que cada ser humano faz o seu destino...

É ainda possível ouvir por aí que a vida não é nada mais que um sopro...

Mas, afinal, o que pode ser a vida?

Muitos dicionários afirmam que vida é o período de tempo entre a concepção e a morte.

Mediante a morte, sempre desejamos a vida...

Há momentos, no entanto, em que o sofrimento é tão intenso que a morte também passa a ser desejada. Essa morte não é oposição à vida, mas sim ao sofrimento...

Desejar saúde, alegria, vitória é sempre um desejo de vida...

Pensamos e vivemos, muitas vezes, como se não fôssemos morrer...

A morte é certa e, quase sempre, não desejada, mas é acontecimento de vida que acompanha a morte. Termos antagônicos e opostos, revelam também nosso desejo por momentos saudáveis, alegres e eternos...

Por isso essa busca desenfreada pela felicidade... Felicidade na vida... Felicidade a qualquer preço, muitas vezes colabora com vivências nem tão felizes...

É no sofrimento que conhecemos os amigos, mas é na vida que os fazemos. Viver bem e feliz com aquilo que conquistou, olhar a vida de forma leve e acreditar que está fazendo história... A sua história!

Viver bem com a família, fazer amigos, ser gentil com todos, não discriminar e crer na vida, não eterna, mas eternizada em momentos de sorrisos. Isso é viver.

Que a armadilha da vida não seja impedimento para que a língua ajude a viver bem. Saúde e vida para você e para mim, leitor, para nós, enfim...


Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711