ASemana 36 anos.png
ASemana 36 anos.png
  
Murilo.png

Tem gente puxando para traz


( Imagem: Divulgação)

É que, por falta de inspiração e tema concreto a preencher este hebdomadário espaço, voltamos a atenção para este mundo que se convencionou chamar de fake news e sua influência no comportamento cotidiano. Dados que se divulgam diariamente dão conta de que ainda estamos distantes das metas fixadas pelo Ministério da Saúde para o atual período de vacinação contra a gripe, a tal h1n1, n2 e o diabo a quatro.

Ah, pois, por conta das tais fake news detectou-se que o povo tem corrido da vacina muito menos por fobia a agulha, caso deste escriba moreno, e mais pelas notícias e comentário disseminados nas tais redes antissociais propagando-se ali os maiores absurdos sobre efeitos colaterais adversos, um amontoado de besteiras ditas por bocas moles, que não sabem nem para que lado os patos urinam quanto mais sobre efeitos colaterais de qualquer coisa.

É um desserviço que se presta a cada minuto ao espalhar-se inverdades e absurdos sobre os efeitos das vacinas. Canalhas que deveriam ser identificados e presos, severamente punidos exatamente por atentarem contra a saúde publica. A facilidade e o pseudo anonimato facilitam o espalhar destes absurdos. Daí, por conta de nossa crassa ignorância, fugimos daquilo que, a duras penas e sabei-se lá por que milagre, o governante ainda tem ofertado gratuitamente. Somos uma nação doente e de doentes e, agora, quando se chama o povo para imunizar-se acontece isto. Vacina, isto remete a outro pensamento.

Vacina é ciência, e ciência é pesquisa. Ah pois, agora, a Autoridade acaba de tungar, de passar o gadanho em percentual avultado das receitas destinadas às Universidades Federais. De há muito vem se proclamando que a razão e o motivo de nossas mazelas é a educação ou a falta dela. No meio acadêmico, na Universidade brasileira se concentra a absoluta maioria dos cientistas e pesquisadores. Agora trabalhos devem ser interrompidos, tempo e esforços perdidos e conhecimento que se atrasa ou se perde. A Universidade Federal de Santa Catarina, inclusive o nosso campus prepara, com razão, manifestação pública de repúdio contra este absurdo e nos conclama a todos juntarmo-nos a eles.

 Nunca dantes se precisou tanto de massificação da educação para deixarmos esta condição de pais tupiniquim.


Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711