37 anos.png
37 anos.png
  
Murilo.png
OPINIÃO

A cor do crime

Racismo será melhor combatido com os negros fazendo por obter educação

Por Murilo Machado


Imagem: Divulgação Facebook

É que, vale uma vista d'olhos sobre os eventos protestatórios, as marchas e passeatas de protesto contra o assassinato, covarde diga-se, do norte-americano George Floyd. Que temos, então. Ao primeiro que até na África existem racistas. Quanto aos Estados Unidos a coisa já é genética. Os negros, pardos e mestiços em geral nunca tiveram qualquer refresco em lugar nenhum. Pois bem, que temos então? A onda de protestos e gritarias pelo mundo nada tem a ver com o combate ao racismo. O povo sempre fez o gênero rebelde sem causa e segue o ditame do falecido Tim Maia, ou sem motivo. 

O desemprego massivo causado pela pandemia, além dos permanentemente desocupados facilita as junções e na falta do útil e produtivo para fazer, gritam e pulam como se verdade fosse que combatem a odiosa discriminação racial ou da cor das peles. Claro que ali no meio tem os idealistas, os sonhadores e pregadores do justo equilíbrio social. É só sonho. Na maioria é um misto de baderneiros e uma minoria de saqueadores e aproveitadores de ocasiões. Muito grito e pouco resultado. Claro que não se pode avaliar como resultado a proibição que se alastra de o policial usar a tal gravata para imobilizar o detido que reage à voz de prisão. 

Coisa mais besta, pois lá, na terra do Tio Sam, como aqui também, tem uns parrudões de todas as cores cuja imobilização não se fará exatamente pela oferta de flores e quindins. No Brasil a lei autoriza o uso da chamada força necessária a fazer obedecer a ordem da autoridade. No caso em pauta, lá nos EUA, o tal Floyd não era exatamente um escoteiro, menino do coro, ao contrário figura já manjada pela polícia. Claro que o fato originador, por si só não autorizava, e nunca autoriza, a atitude covarde do policial, mesmo porque, este já tinha atingido o objetivo de paralisar seu detido, mais covarde ainda, pois fazia ouvidos moucos a voz cada vez mais sumida de não poder respirar. O tal policial é um cretino, restando esperar que a Justiça deles também não o seja.

Aqui na terrinha de Santa Cruz as passeatas também vem acontecendo em apoio ou desabono. O caldo é o mesmo, gente que serve de massa de manobra de grupelhos que estão na sombra. De resto, o racismo será melhor combatido com os negros fazendo por obter educação, parar de bancar os coitadinhos, parar de chorar, parar de aceitar favores e beneplácitos governamentais,  como as tais cotas, e trabalhar para conquistar e se impor em pé de igualdade. O resto e balela de sociólogo desocupado. 


Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711