ASemana 36 anos.png
ASemana 36 anos.png
  

Férias


Posso dizer que as férias de julho, para nós Professores, são um tempo muito especial. Um privilégio em relação às outras profissões, e, ao mesmo tempo, um período para renovar e reinventar a nossa atuação, mesmo compreendendo que para as famílias as articulações para seus filhos em julho, neste mesmo processo de férias/recesso, já é um tempo bastante conflituoso. Afinal, os pais em sua maioria não disponibilizam de uma pessoa para ficar com seus filhos enquanto trabalham. Requer uma tremenda flexibilidade para contemplar a todos o seu melhor.

Foi pensando nesse "melhor" que disponibilizei alguns exemplares de livros como motivadores durante o recesso escolar: Pois, além de atividades envolventes contribuem para o desenvolvimento do cérebro e de seu aprender a aprender. Para aquelas crianças que se sobressaem pelo agite diário auxilia no foco e na concentração. Pois todos têm em comum procurar algo que se encontra escondido.

A DICA É:

Férias também para as telinhas.

Nos livros da categoria "Procure e ache" ou "Busque e encontre" ou "Onde estão Tuti e seus amigos?" e similares. São livros resistentes e de preços acessíveis, geralmente encontrados em feiras de livros no valor de cinco a quinze reais.

São importantes para a estimulação visual, concentração, atenção, memória, expansão do conhecer e muitos outros detalhes que favorecem o contato com eles.

Pensei nos livros porque estão quase obsoletos em várias famílias por estarem sendo trocado pelo universo das telinhas. Acredito na importância do contato com eles como promovedoras de inúmeros benefícios:

Amar livros; Ler como hobbie; Passam a ler e a escrever melhor;

Expandir o olhar além das palavras; Tornam-se mais criativos;

Explorar as imagens e detalhes, ou seja, ir além do que está ali;

Oportunidade de expandir as percepções, as especificidades, de conhecer e reconhecer os conceitos dos quais a criança já se apropriou;

Brincar durante as buscas oferecidas através de sinônimos, antônimo, substantivos, adjetivos, pronomes, artigos, além de características prováveis e improváveis sobre os objetos ou palavras em evidência;

Instigar a ser detetive formando rápidas ideias e histórias sobre as propostas das atividades;

Problematizar as situações: E se... E se você fosse o autor da história... E se... Imaginar e re-imaginar as propostas:

Desenhar o que mais e menos gostou:

Que final diferente você daria?

Percebeu "o que" no início, meio e fim da História?

O que você não conhecia e passou a conhecer hoje?

Se tiver fantoches, dedoches, ou similares reproduzir a história em foco em casa.

Enriquecer o vocabulário;

Conversar entre os pares sobre as vantagens do contato através dos mesmos;

Cria laços afetivos em casa e na escola, bem como nos espaços que frequenta;

Férias! Livros! Bibliotecas! Organização dos livros em casa; Doações; trocas entre colegas?

Cuidados...

Acreditar! Confiar que a partir da expansão das dicas até você, aconteça a multiplicação e a prática ali encontradas.

Boas leituras.







Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711