37 anos.png
37 anos.png
  
OPINIÃO

Ou a gente ganha, ou a gente aprende

'Ter uma lista de gratidão traz incontáveis benefícios...'

Por Sulisia Westphal Román


(Foto: Sulisia Westphal Román) /

Essa curta, porém, ampla frase da final do The Voice Kids 2020, conecta meus sentimentos. Quando a gente faz aniversário, é um tempo bastante curioso, principalmente em se tratando de pandemia.

Pois, muitas pessoas que tivemos ou temos vínculos investem tempo para pensar e escrever características sobre a nossa pessoa. Entre elas, muitos detalhes que se extraviaram em nossas memórias em tempos de educação remota.

Assim, a troca de idade mexe e remexe em nosso ser. Acredito que muitas pessoas como eu, aproveitam para fazer uma revisão pessoal, um balanço para apurar o saldo qualitativo do ano que se finda.

Compartilhando detalhes que podem ser significativos:

Para quem ainda não faz, indico que registre sua lista de gratidão. Já estou no item 94. Queria chegar a cem. Agora quero expandir a meta. É uma experiência incrível, pois nos proporciona o resgate e registro de memórias "boas" desde a infância. Tenho uma amiga que gosta de pedir: _ Sulisia, hoje leia pra nós o item (dez)... Muitas vezes são detalhes que alinhavamos e vão puxando muitos outros fios de nossa história e quem faz parte de nossos relacionamentos atuais não saberia. Detalhes que podem gerar diferenças na vida de outros, mesmo estando em lives.

Já recomendei e reafirmo. Ter uma lista de gratidão traz incontáveis benefícios, e amplia o contentamento muitas vezes sufocado pelo contexto atual. Se nada temos registrado...Perdemos oportunidades de revitalizarmos o nosso próprio jeito de ser.

2.Aprendi que "acompanhar o crescimento de uma muda desperta em nós delicadezas do cuidado e a atenção para o desenvolvimento de cada ser( Débora Gomes). Assim mudas foram distribuídas e plantadas no início do ano letivo... Algumas acompanhamos a distância.

3. Você já pensou que uma cama elástica cede, acolhe e recebe. Exatamente assim precisamos ser para receber, acolher, às vezes consolar e impulsionar o outro.

4. A importância de acreditar que fomos feitos para amar se expandiu. Aprendemos a amar intensamente no convívio diário restrito em casa e igualmente encontramos novas formas de demonstrar o amor a distância.

5.Conheci a família do Tio Google que está dando um up nas atividades da educação remota: Google Drive, Google Forms, Google Sala de Aula, Google Agenda, Google Apresentação, Google Meet... E que não existe idade impeditiva para trazer essa Família no cotidiano.

6.Fiquei feliz em poder acompanhar tantas flores crescendo e iluminando a minha sacada, mesmo tendo saudade dos contatos e das aulas presenciais.

7.Valorizei cada dia morar em um ambiente que me permite caminhadas diárias com máscaras em meu condomínio.

8. Participei e tomei conhecimento de várias estratégias de "21 Dias" para novos hábitos.

9. Aprendi e aderi a uma dinâmica para descontrair em lives. Tenho um grupo de amigas cristãs que se encontram em live semanal para estudar a Palavra. E agora, também dedicamos um espaço para descontração. Iniciamos com a tarefa de trazer um objeto que inicie com a primeira letra de nosso nome. Como somos em sete, cada uma deveria pensar e apresentar sete objetos. É muit interessante pela diversidade de objetos pensados e curiosidades geralmente ocultas para as amigas, já que estamos meses sem nos visitar.

Foi tão aceito que já escolhemos uma letra aleatória e neste caso, trazer três objetos/itens que iniciam com a mesma letra. 

Para a semana seguinte apresentaremos uma foto que tem uma história interessante a ser compartilhada.

10. Também detectamos nossas falhas, nossas imperfeições. Continuo aceitando-as e estou na tentativa de encontrar estratégias para amenizá-las enquanto há tempo.

Você é incrível! Assim, acredita que nunca precisamos perder? Sim, eu acredito que podemos estar sempre aprendendo!


Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711