ASemana 36 anos.png
ASemana 36 anos.png
  
CarlosHomem.jpg

Conselhos e mentiras

Essas dores do amor, mais conhecida por dor de cotovelo, ou de corno, para ser mais popular, podem ser mitigadas, ou até mesmo resolvidas com um conselho muito simples. Esse conselho ou ensinamento talvez estivesse escorado na larga experiência de um personagem curitibanense que conheci.

Ele sempre teve amante fixa e várias avulsas. A cada passo, quando alguém para ele se lamentava desse tipo de enfermidade ou depressão moral, porque sofrera uma traição aqui ou ali, e que por tal motivo estava sofrendo, aquele mestre desse ramo sentimental ensinava: "O teu problema é acreditar naquilo que te contam, ou nas coisas que você vê! Pare com isso!

Acredite só nela, naquilo que ela diz! Não acredite nem nos teus olhos! Acredite que ela não mente pra você! Pronto, assim você não sofre!" Fácil. Na verdade adoramos mentiras. Elas são convenientes e até confortáveis em muitas oportunidades. Quando mentimos repetidamente acabamos acreditando que nossas mentiras são verdades. Muitas vezes, por carência, aceitamos a mentira dos outros como uma forma de desculpas. Pois, mudando o rumo desta conversa, penso que o Lula é a amante dos petistas descornados, e estes, por sua vez, estão seguindo o conselho do meu personagem.

Assim, a maior parte do mundo político, sanguessugas das ONGs, sindicatos, intelectuais da orelha de livros, jornalistas e artistas produzidos e sustentados pela Lei Rouanet, se fingem de tolos arrematados, assobiam e olham para o lado. Não acreditam, por bloqueio cognitivo, fanatismo, teimosia e paixão pelo Lula, em absolutamente nada do que lhes dizem e do que vêem. Só naquilo que o Lula diz, já que todo mentiroso é convincente por lhe faltar escrúpulo moral.

Se ele afirma que é inocente, é porque é! O resto é armação da direita, do capitalismo selvagem, dos grandes grupos econômicos, e, parvamente, dos Estados Unidos. Só mesmo o mais arrematado dos tolos pode negar que não houve a ladroeira colossal praticada pelas empreiteiras e políticos que agora se acham todos atrás das grades. O chefe de tudo isso seria inocente? Fanatismo nessa crença é sinônimo de burrice! Existe ainda criatura que até hoje defendem o Hitler!

A cacofonia histérica e emburrecedora dessa gente nas redes sociais é de dar ânsia. É até mesmo um cinismo intolerável esse de negar o óbvio: O Lula afundou o país e se escuda, ainda, naqueles que teimam em aceitar suas mentiras. 

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711