37 anos.png
37 anos.png
  
CarlosHomem.jpg
OPINIÃO

Cachorros de rua

'Simulacros de cães que não aprenderam a latir!'

Por Carlos Homem


(Foto: Arquivo A Semana) /

Seguidamente, quando saio do escritório, tem dois ou três cachorros deitados ali na calçada, perto da porta. Alguém, por ali, os alimenta. Penso! Gosto de ver o modo como me olham. Com os queixos encostados no chão me negaceiam de soslaio, abanam o rabo amistosamente e de forma muito dócil. Querem compartilhar amizade. Há uma expressão de ternura nos olhos do bicho. São umas criaturas abençoadas.

O cachorro é o único animal que morre apanhando e não reage se quem o estiver agredindo for o seu dono. Nem Isaac foi tão submisso quando seu pai Abraão esteve na iminência de sacrificá-lo. Não existe na natureza abnegação maior. E fidelidade também! O cachorro é seguramente o animal que mais nos aproxima do afeto. Como não gostar deles? Lima Barreto já escrevia que as mulheres são ainda as que mais amam os cachorros. Talvez seja esta também a razão de cuidarem tão bem dos seus homens. São elas que protegem os cães sem dono, os tristes e desgraçados cães que andam por aí à toa.

Que mal existe em cuidar dos vira-latas que perambulam por todos os lados? Não se deve alimentá-los por quê? Fazem sujidades nas calçadas? Xixi nas paredes? Ofendem a viadagem de senhoras e cavalheiros que se julgam remanescentes da fidalguia sem fé? Façam-me um favor! O bicho humano é por demais hipócrita! É muito mais fedido que o cachorro, já que o cachorro tem um cheiro só.

Não acredito na amizade de nenhuma pessoa se ela maltrata os animais, em especial os cães. Agora, penalizar uma senhora com multa porque deu comida para cachorros de rua é muito difícil de aceitar-se passivamente. Acredito até que houve falta de moderação para o fiscal, obcecado talvez para fazer cumprir uma lei estúpida.

Na mesma porta do prédio onde trabalho, amiúde amanhece com vômitos, xixi e fezes humanas. São os irracionais da racionalidade. Simulacros de cães que não aprenderam a latir! Para esses pinguços notívagos, maconheiros, et caterva, é que devia haver uma lei proibindo que se lhes dessem comida. Não me consta que os guaipecas andem por aí entortando postes de sinalização, quebrando árvores das ruas, riscando carros, apedrejando lâmpadas da iluminação pública, rabiscando paredes com spray.

Mas, temos que aguentá-los!

Cachorro e gente não têm culpa por terem nascido, mas têm o direito de viver! Penso que não seja muito sacrifício convivermos com os cães. Um pouco de tolerância com esses bichos tão valentes e fiéis vai acrescentar motivos para a nossa existência.

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711