37 anos.png
37 anos.png
  
CarlosHomem.jpg
OPINIÃO

Candidato

'É a ilusão que move a vida'


(Imagem: Divulgação) /

Sou candidato a candidato para uma vaga no Poder Legislativo. Dito assim, "candidato a candidato" parece que não tem problema com a lei eleitoral. A campanha mesmo só será permitida a partir de 27 de setembro próximo. Mas como não sou candidato registrado ainda, o jeitinho brasileiro de não transgredir com a lei, mas já transgredindo, vale para o caso.

- Ficou louco? Foi a pergunta de um amigo quando pedi seu voto. Daí brotou no meu inconsciente político os argumentos que nessas horas são necessários. - Não fiquei, faz tempo que sou! Foi minha defesa. E acrescentei que os loucos são os heróis que modificam o mundo. Jamais foram os homens de bom senso, os ponderados, os ditos equilibrados que impulsionaram a humanidade. São os loucos reformadores, revelam grandes ideias, mostram determinação e coragem.

A biografia dos mais famosos escritores, poetas, músicos, filósofos, descobridores, libertadores, conquistadores, etecetera, mostra sempre que havia ali um viajante da maionese. O mundo jamais seria o que é se não fossem os malucos. Mas, lelé ou não, quero ser vereador. Não vou enganar ninguém com aquela velha conversa de que "quero o bem para Curitibanos".

Nada disso. Quero mesmo é só o meu próprio bem. Tô de olho no subsídio! O importante é a graninha mensal gotejando mês a mês na minha conta! E não pode ser diferente. Afinal de contas vereador serve prá quê? Dar nome às ruas? Só isso já não é um sacrifício danado? O Poder Legislativo todo, da base até o topo, no nosso sistema tupiniquim, só serve para atrapalhar o executivo. Com a tola justificativa de que vão "fiscalizar" a administração, ficam enchendo o saco com aqueles blábláblás improdutivos.

Depois, não preciso de muito conhecimento da técnica legislativa. Fazer projeto de lei prá matar cachorro de fome, ou proibir cachorro de latir, e quem sabe, de fazer cocô, qualquer um faz, não é verdade? Também não quero saber da tal fidelidade partidária. Depois de eleito viro a casaca para o lado que me oferecer mais vantagens. A política sempre foi um palco para polêmicas azedas. Não vou entrar nessa! Tenho um argumento para convencer e enganar meus eleitores. Um trunfo que é mais vital para a criatura humana que a própria alimentação: Ilusão! É a ilusão que move a vida! Sim vou vender a ilusão de que serei diferente de todos, que serei útil para o município. Que vou trabalhar incansavelmente para o povo! Daí me elejo fácil, fácil! Pena que é tudo mentirinha. 

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711