37 anos.png
37 anos.png
  
CarlosHomem.jpg
OPINIÃO

Autoridade ao professor

Estão moldando os infantes para que sejam aquilo que os pais projetam não para aquilo que eles gostariam de ser

Por Carlos Homem


(Foto: Divulgação) 

Que o sistema de ensino e seus métodos, aqui no Brasil estão ultrapassados, não é segredo pra ninguém. Ihhhh... cara! Vai mexer nisso de novo? Vou! Muitas vezes, a maior prova de inteligência se encontra na recusa de se aprender uma lição. Mesmo que apanhe! Mas é que vejo tantos pedagogos difundirem artifícios de didáticas para tornar a aprendizagem eficiente que mexe com minha rebeldia. Pois acredito, piamente, que nenhuma reforma do ensino funcione, seja ela estrutural ou de superfície, sem que se estabeleça uma premissa básica: Autoridade ao professor! Pronto. Aluno, seja ele do jardim da infância ou dos cursos em doutorados, tem que respeitar o professor. O professor e também às suas regras!

A disciplina rígida queiram ou não os liberalistas, libertários ou libertinos, para ensinar é fundamental e indissociável do aprendizado. Enquanto proliferarem leis que dão ao aluno "direitos" e mais "direitos", dispensando-os das obrigações, o ensino não sairá da falência. O mesmo vale para a Justiça. Enquanto os códigos processuais não estabelecerem prazos fatais e respectivas reprimendas para juízes e promotores, os processos vão continuar embolorando nas prateleiras. Todos devem cumprir os prazos se é que a lei deve assegurar igualdade. Devemos calar? O problema é maior quando as coisas não são ditas, não é vero?

Retornemos às escolas. O que são elas nos dias atuais? Seriam instituições destinadas à destruição da criança ou adolescente? Que podam a alegria do brinquedo? Que ensinam, por imposição maléfica e da vaidade dos pais que devem aprender para serem médicos, engenheiros, astronautas? Que devem passar no vestibular? Que se não forem aprovados podem ser rotulados como burros? Que seria uma vergonha exercerem profissões mais humildes como carpinteiros, marceneiros, mecânicos, pedreiros, etc.? Há uma poema de Guerra Junqueiro intitulado "Como se faz um monstro" que exemplifica bem o que pretendo aqui dizer. Estão moldando os infantes para que sejam aquilo que os pais projetam não para aquilo que eles gostariam de ser. Enquanto mães dondocas e pais por elas manipulados forem nas escolas "tomar satisfação" com os professores porque seus filhinhos chegaram em casa choramingando e cheios de dengos, não há pedagogia que seja eficiente e que realmente ensine. Enquanto alunos infantes ou adolescentes estiverem unindo a ponta do dedo indicador na ponta do polegar e mostrando para o professor, durante as aulas, não adianta nenhum método pedagógico moderno.      

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711