ASemana 36 anos.png
ASemana 36 anos.png
  

Via Crucis

Por João Marcelino


(Foto: Divulgação) 

Entrar nas redes sociais virou uma via crucis. Toda publicação envolve política. Ou então um assunto delicado que possa envolver a política. Ou então envolve qualquer coisa que vai virar um assunto delicado e que vai virar política. Um monte de gente mostrando a necessidade de mudar o mundo sem ter a mínima consciência da dimensão do mundo, ou como mudar, efetivamente, o mundo. Parece paradoxal, mas não é. Vou resumir pra facilitar: as pessoas não sabem do que estão falando.

Essa máxima, um pouco polêmica, transcende qualquer inclinação ideológica. Aqui, exclusivamente, falo com esquerda, direita, centro e seja-lá-o-que-mais-tem. O Brasil perdeu a capacidade crítica. As pessoas escolhem um lado, como se fosse um time, sem sequer entender o que pensam, o que querem fazer ou aonde querem chegar. Não ligam de não saber de verdade história, sociedade, política. Só entendem que precisam torcer. E gritar. Nem que seja pelos dedos.

Estão todos cheios de si e cheios de convicção, embasados em textões rasos e óbvios e conteúdos ruins achando que adquirem, assim, munição para debate, puramente pela urgência de argumentar com aquele conhecido militante que "só pensa em lacrar", ou a tia conservadora que é "burra e atrasada". Ou só o inimigo mais próximo dentro da internet, mesmo. Calma lá.

É uma provocação um pouco grossa, mas, ao mesmo tempo, necessária: perdemos completamente o fio da meada. Enquanto sociedade, não conseguimos mais discutir de forma útil, pensando no progresso, no NOSSO progresso. Só queremos conseguir ganhar discussões completamente pífias e deu. Não precisa ser assim! Vamos exercitar a inteligência, a empatia, a capacidade de ouvir e o nosso senso crítico. Um dia de cada vez, que tal? Ainda há tempo de abandonarmos essa via crucis e seguirmos o caminho inteligente. É o mesmo pra todo mundo.

João Marcelino

Jornalista e redator



OculoseCia.gif
ConexaoMaster.gif

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711