nas-redes.png

EDIÇÃO IMPRESSA

Sexta, 18 outubro

Capa
Capa

EDIÇÃO IMPRESSA


Dermatite Alérgica a picada de pulga

DIAGNÓSTICO. O surgimento de lesões é um sinal para procurar o veterinário


A Dermatite Alérgica a Picada de Pulga (DAPP) é uma enfermidade muito comum em cães e gatos. Os animais que desenvolvem a DAPP apresentam uma reação alérgica à saliva das pulgas que é injetada na pele do animal enquanto estas se alimentam de sangue. A saliva da pulga nesses animais é a responsável por desencadear a reação de hipersensibilidade, pois nela existem vários componentes antigênicos (substâncias que estimulam a produção de anticorpos). Esse tipo de alergia é pouco observado em animais com idade inferior a seis meses. O sinal clínico da DAPP mais observado é o prurido (coceira) com intensidade que vai de moderada a intensa. Ao se coçar o animal acarreta o desenvolvimento de lesões na pele tais como inflamação, feridas e crostas. O ato de coçar pode ainda causar hipotricose (falhas na pelagem) que evolui para alopecia (falta de pelos). As regiões do corpo mais afetadas pela DAPP são: cauda, ânus, região dorsal, coxas, abdômen e pescoço.

  • A saga das bactérias

A DAPP serve como porta de entrada para diversas outras infecções de pele que se desenvolvem pela proliferação de bactérias oportunistas que encontram na pele inflamada e lesionada dos animais com DAPP um ambiente perfeito. Em casos crônicos de DAPP a pele adquire uma coloração escurecida nas regiões de lesão, podendo também engrossar nessas áreas. Os gatos com DAPP desenvolvem um tipo de dermatite denominada de Dermatite Miliar por formar diversos pontos de lesão na área afetada. O diagnóstico da DAPP deve ser feito pelo médico veterinário após a obtenção de toda a história clínica do animal e um completo exame físico. Para auxiliar o diagnóstico da DAPP é muito importante que seja identificada a infestação por pulgas, pois esse achado é determinante para a confirmação deste quadro de alergia. Para isso é necessária a colaboração do proprietário quanto à atenção a todos os detalhes com o comportamento, hábitos e cuidados com o animal que devem ser relatados ao veterinário com precisão. É importante destacar que a presença de pulgas nos animais não tem relação com hábitos de higiene e pode ocorrer mesmo em animais que recebem cuidados adequados e até rigorosos por parte de seus proprietários.

  • Muito cuidado no frio

No inverno existe uma tendência a uma menor preocupação com relação ao uso de produtos antipulgas. Animais com DAPP desenvolvem todos os sintomas da alergia após uma única picada de pulga, por isso é determinante que eles estejam protegidos contra pulgas durante todos os meses do ano, incluindo os meses mais frios. Produtos antipulgas devem ser aplicados no animal a cada 28 a 30 dias para que as dermatites alérgicas a picadas de pulgas sejam controladas com sucesso.

Imagens




As mais lidas do dia

jr.png

| | insta |

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.


Whatsapp
(48) 8453-0809

 

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

 

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.