15202912083430.png
ESPECIAL

EXCLUSIVO: Tijucas ganhará espaço dedicado às famílias e ao turismo em área de 18 mil m²

Por Daiane Valentin e Lorran Barentin / JR

Em março deste ano, quando a prefeitura de Tijucas anunciou a importante conquista da inclusão do município no Mapa do Turismo do Brasil, muita gente deu risada. Na verdade, pouquíssimas pessoas se deram conta de que este passo era fundamental para que, efetivamente, a realidade da Capital do Vale seja transformada.

Historicamente, o setor turístico de Tijucas nunca foi valorizado. Entretanto, em 2021, o Prefeito Eloi Mariano Rocha decidiu mudar este panorama e indicou para a pasta a ex-professora e vereadora eleita Paula Regina da Silva.

Em reuniões com o prefeito Eloi, Paula recebeu a incumbência de buscar mecanismos para explorar este mercado que movimenta bilhões de reais em cidades vizinhas como Porto Belo, Bombinhas, Balneário Camboriú e Itapema.

"Sem a inclusão de Tijucas no Mapa do Turismo do Brasil, o município não poderia, por exemplo, receber recursos do Governo Federal. Agora, com os requisitos preenchidos, inicia uma nova etapa", afirma Paula.

Por conta da pandemia da Covid-19, a Secretaria de Cultura e Turismo de Tijucas não realizou eventos e atividades durante todo este período. Como acontece em todas as esferas de Governo.

"O prefeito Eloi decidiu junto à Secretaria que o melhor caminho seria economizar este dinheiro que entrou e acabou não sendo utilizado nos eventos e dar seguimento ao audacioso projeto de transformar Tijucas em uma cidade turística", explica a responsável pela pasta de Turismo.

Toda obra pública carrega consigo uma sequência de passos burocráticos. Tão logo ocorreu a solicitação para que Tijucas fosse inclusa no Mapa do Turismo, conforme indicado pelo prefeito, Paula antecipou-se e contratou uma empresa especializada para a elaboração do projeto do Casarão Gallotti.

"Este é o primeiro passo, pois sem ele não há como viabilizar recursos e planejar a execução", ressalta Paula.

Deu tudo certo: Tijucas foi inclusa, o projeto ficou pronto e, nesta última semana, o vereador tijuquense Rudnei de Amorim (PSD) foi até Brasília.

Com o apoio do Deputado Federal Darci de Matos, do PSD, grande aliado do Prefeito Eloi, apresentou-se o projeto às autoridades responsáveis pela liberação de recursos e a expectativa é de que, por conta do "sinal verde" conquistado na visita, a primeira etapa do Centro Histórico de Tijucas, que contempla os fundos do Casarão Gallotti, inicie muito em breve.

Com uma área total de 18.136,20 m², o projeto foi orçado em R$ 4,3 milhões.

Ponto turístico

O projeto de requalificação urbana da área que compreende os "fundos" do Casarão Gallotti tem como responsável técnico o engenheiro civil Miguel Ângelo Gonçalves.

A proposta contempla diversos ambientes que se integram entre si. "O espaço vai ganhar uma cara nova e foi estruturado para ser um ponto turístico agradável não só para os visitantes, como para a população, além de promover interação com o entorno do Casarão", explica a secretária de Cultura e Turismo.

 

Um dos destaques é o espaço destinado à Madre Paulina - Tijucas é caminho para os milhares de religiosos que se deslocam para Nova Trento para visitar o Santuário da Madre.

A área rural da Capital do Vale, inclusive, faz parte da rota turística Caminhos de Santa Paulina, a primeira santa canonizada brasileira.

A rota segue o caminho trilhado pela própria Santa Paulina, de Nova Trento, para a inauguração da atual Igreja Matriz do Divino Espírito Santo, em Camboriú.

O trajeto passa por Tijucas e Canelinha e foi inspirado no Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha.

Festas e eventos

Além de explorar o potencial turístico ligado à história do Vale do Rio Tijucas, o objetivo é que o Casarão Gallotti se torne "autossustentável" - para isso, um outro espaço será destinado a eventos privados. Os tijuquenses poderão locar o ambiente que conta com pergolados para a realização de festas.

As atrações culturais e artísticas também ganharão espaço para apresentações - um Teatro de Arena, afastado do Casarão e com entrada principal pela Avenida Valério Gomes. 

Espaço público

O playground é um espaço público destinado à recreação infantil. Os pequenos tijuquenses e visitantes terão espaços de lazer próprio para eles.

Estes espaços estão presentes em cidades do mundo todo e enriquecem os espaços urbanos destinados à visitação pública.

As áreas de convivência contarão com mesas e cadeiras, decks e pergolados. Haverá ainda espaço de leitura e redários, espaço de relaxamento com redes.

A Dança das águas, com jatos verticais de água com diferentes alturas, a exemplo de diversas cidades pelo mundo afora, promete encantar os turistas.

O projeto paisagístico também prevê instalação de iluminação e banheiros.

Natureza

O projeto de revitalização contempla ainda elementos de um grande jardim urbano. Árvores, trepadeiras e arbustos de diversas espécies prometem encantar os turistas e formar o cenário de valorização tão sonhado para o entorno do Rio Tijucas.

"Um lago artificial com pontes e passarelas irão render boas fotos e, inspirado em grandes jardins europeus, o local contará com um labirinto de arbustos", adianta Paula.

Centro Histórico

O projeto integra a proposta de revitalização da área no entorno do Casarão Gallotti e a construção de um centro histórico em Tijucas.

Está sendo elaborado o pré-projeto de arquitetura e urbanismo para o espaço das ruas Coronel Gallotti, Maria Gallotti e João Bayer.

Em breve, o projeto executivo estará finalizado e pronto para o processo licitatório. Este projeto é de responsabilidade da empresa A. Furcolin Paisagismo Ltda, vencedora do concurso público nacional, realizado pela Prefeitura de Tijucas no ano passado. Na ocasião, foi apresentado o anteprojeto, que está recebendo modificações.

Em fevereiro deste ano, o município assinou o contrato com a empresa, no valor de R$ 132 mil. O prefeito Eloi Mariano Rocha já havia adiantado sobre a existência de um projeto encaminhado para a área dos "fundos" do Casarão Gallotti.

A área de intervenção do Centro Histórico do Casarão Gallotti se constitui de três trechos e foi calculado em, aproximadamente, 6.621,63 m2.

O pré-projeto já está nas mãos do Prefeito Eloi Mariano Rocha e em breve deverá ser anunciado formalmente pela prefeitura. 

História do Casarão Gallotti

Construído em 1898 no centro de Tijucas, o Casarão Gallotti foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 2002.

Segundo a Fundação Catarinense de Cultura, a residência possui estilo eclético, baseado no castelo da família Gallotti na Itália, sob a encomenda de Benjamin Gallotti - renomado empresário da época.

O edifício funcionou por muitos anos como ponto de encontros políticos e era animado por festas e apresentações artísticas.

A última integrante da família a morar na casa foi Maria Gallotti, que faleceu em 1987. O Casarão permaneceu fechado por anos e foi doado pelos herdeiros ao município em 2007.

A edificação foi restaurada e o Centro Cultural Benjamin Gallotti foi inaugurado em 15 de dezembro de 2009. Hoje, o local abriga o Museu Tijucas, inaugurado em 2012, e seu entorno serve de palco para eventos e projetos culturais e artísticos.

AVISO: Espaço livre! Para comentários realizados através de terceiros, o jornal se baseia na Lei 2.126/2011 (Marco Civíl da Internet) e dá garantia a liberdade de expressão, comunicação e manifestação de pensamento, nos termos da Constituição. O jornal não se responsabiliza por comentários de terceiros

Continue lendo




ULTIMAS NOTÍCIAS

16121836959090.png
Capa
EDIÇÃO IMPRESSA
Ler agora!
jr.png

| | insta

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.


Whatsapp
(48) 8453-0809


EDIÇÃO IMPRESSA

Sexta, 01 de setembro

Capa