nas-redes.png

EDIÇÃO IMPRESSA

Sexta, 04 outubro

Capa
Capa

EDIÇÃO IMPRESSA


HISTÓRIAS

Ressureição - A Páscoa de Tavarangué

Uma viagem no tempo com os antepassados guaranis e suas lendas

Há alguns meses atrás chegávamos a mais uma redução jesuítica paraguaia, que coincidentemente levava o nome do Messias que deu origem ao período pelo qual passamos agora: a Páscoa de Jesus Cristo, sua morte e ressurreição.

A missão em questão levava o nome do filho de Deus, seguido da palavra guarani Tavarangué, que significa "algo, ou aquilo que não está pronto". E o fato desta Redução Jesuítica, não ter sido terminada antes do calvário jesuítico na América, a fez ressuscitar, e ser elevada também ao posto de Patrimônio Mundial pela UNESCO.

Este ocorrido fez com que a Missão Jesuítica de Jesus de Tavarangué nunca fosse saqueada, e consequentemente destruída, preservando muito todo o seu rico conjunto arquitetônico. Neste local, também suportados pela Secretaria de Turismo do Estado de Itapuá, um guia local, e de sangue guarani, nos fez viajar no tempo com suas histórias sobre seus antepassados, os legítimos donos dessa terra vermelha.

Apesar de não ser totalmente concluído antes do término de todas as reduções, Jesus chegou a abrigar mais de 3.000 indígenas, e, portanto, como de praxe, as missas faziam parte da rotina diária. Segundo a história, devido às propriedades diuréticas da erva mate, o fluxo de indígenas saindo e entrando na igreja durante as celebrações era enorme. Incomodados, os padres proibiram o consumo da erva, porém tiveram uma surpresa nada agradável. Por ter também muitas propriedades estimulantes, o rendimento dos indígenas em todas as faxinas diárias da redução caiu abruptamente.

Entre o distúrbio na missa e o caos na redução, os padres, espertos que eram, optaram pelo primeiro, absolvendo a erva que já fora considerada maldita. E entre um mate e outro, conhecemos duas amigas, uma francesa e uma italiana, que seguiram junto de nós na visita guiada pelo sítio arqueológico, compondo o coro dos parabéns cantado em guarani para nosso pequeno Pedro.

Definitivamente a Missão de Jesus, a exemplo de um dos grandes profetas que pisaram na terra, quiçá o maior de todos, foi crucificada, morta e sepultada, ressuscitada mais de 300 anos depois, para sorte de toda humanidade.

Próximo trecho

Seguimos ainda pelo Paraguai, agora rumo oeste, em direção a Missão Jesuítica de São Cosme e Damião. Lembrando a todos vocês, que continuaremos com nossa viagem pelas Missões Jesuíticas Guaranis até o final de maio.

Em breve, muitas novidades!

Nos acompanhe pelas redes sociais e pelo nosso site www.pedalanarbal.com.

Imagens


As mais lidas do dia

jr.png

| | insta |

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.


Whatsapp
(48) 8453-0809

 

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

 

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.