38 anos.png
Zuquelo.png
OPINIÃO

Agravamento da situação

'É importante viver em harmonia'

Por Elton Zuquelo


(© Reuters/direitos reservados)

O Brasil e o mundo registram um agravamento da situação provocada pela Covid-19, com aumento do número de infectados e de mortos. Regiões do Rio Grande do Sul apresentam a cor preta pelo alto risco de contaminação.

   Enquanto a população se debate na insegurança e no temor, as autoridades não se entendem em relação à vacinação, sendo esta relevante questão de saúde pública e que é usada politicamente.

   E acerca da vacinação, ainda há muitas dúvidas sobre sua eficácia e, principalmente, sobre possíveis efeitos colaterais, tudo em razão da exiguidade de tempo que não possibilita os estudos necessários para a segurança da imunização.

   O maior desconhecimento em relação à vacina acompanha a incógnita sobre o vírus, tratando-se de agente desconhecido, que ninguém sabe dizer muita coisa a seu respeito. Todos ficam expectantes de que estejamos no momento do pico das contaminações e que logo inicie a curva descendente de contágios.

   O que se tem por certo é que este final de ano será diferente, sem as festividades que atraem multidões. O revellion o Rio de Janeiro, muito famoso pela queima de fogos e pelo número de pessoas que acorrem ao local, já foi cancelado, entre outros tantos eventos que não acontecerão este ano.

   A propósito da queima de fogos no final de ano ou em qualquer data, digna de aplausos a decisão da Câmara de Vereadores de Curitibanos de proibir o uso desse material em nosso município. Desconhece-se a exposição de motivos dos autores do Projeto de Lei, mas é fato de que os estouros dos fogos de artifício causam grande desequilíbrio ambiental, visto como os animais ficam aturdidos com esses impactos sonoros que, para algumas espécies, são intoleráveis.

   Parabéns à Câmara de Vereadores. A lei aprovada ainda depende da sanção do Prefeito, o que se dará pelo novo mandatário a partir de 1º de janeiro, segundo informações.

   Aos poucos a humanidade vai compreendendo a necessidade de viver em harmonia com a natureza, constituindo evidência de ignorância causar esses distúrbios, que afetam também as pessoas, especialmente idosos e enfermos, pessoas estas que necessitam mais do que as outras de serenidade e respeito.

   Existe a esperança de que, quando o vírus bater em retirada, a humanidade terá aprendido a viver melhor, valorizando seu bem estar, a casa, a família, de como é importante viver em harmonia com os irmãos em humanidade e com toda a vida ao derredor.

   E no momento presente talvez seja a plenitude da harmoniza a verdadeira imunização do ser, mantendo-se em equilíbrio, em paz. De acordo com estudiosos, os vírus que atacam o homem têm origem na decadência moral, daí que o fortalecimento dos valores verdadeiros, das virtudes, da ética, o imunizam, assim como a fé põe resistência à enfermidade e a tantas outras adversidades, mantendo-se firme aquele que a possui.

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711