38 anos.png
OPINIÃO

Colocação de pronomes e a língua

O uso dos pronomes depende da posição do verbo que pode ser proclítica, mesoclítica ou enclítica.

Por Katia Zílio


(Foto: Divulgação) /

Hoje, leitor, vou relembrar como podemos usar alguns pronomes oblíquos. 

Lembra-se deles, leitor?

Os pronomes oblíquos átonos, aqueles que acompanham o verbo:

Ele se esqueceu do livro.

São átonos porque possuem a acentuação tônica fraca.

Mas quais são esses pronomes?

> 1ª pessoa do singular (eu): me

> 2ª pessoa do singular (tu): te

> 3ª pessoa do singular (ele, ela): se, o, a, lhe

> 1ª pessoa do plural (nós): nos

> 2ª pessoa do plural (vós): vos

> 3ª pessoa do plural (eles, elas): se, os, as, lhes

O uso dos pronomes depende da posição do verbo que pode ser proclítica, mesoclítica ou enclítica.

Podem ser nomeados: próclise que posiciona o pronome antes do verbo, ênclise que posiciona o pronome depois do verbo e mesóclise que insere o pronome no meio do verbo.

Quando uso o pronome, como saberei a posição mais adequada?

Próclise é sempre a primeira opção, pois é a mais comum. Para usar a próclise verificamos se há alguma palavra atrativa (que atrai o pronome) para antes do verbo.

Podem ser

advérbios: (amanhã, aqui, lá, já, etc)

Amanhã me indique o livro na biblioteca, ok?

palavras negativas (nem, não, nunca, jamais, ninguém, nada, de modo algum etc.)

Ninguém se lembrou dele?

pronomes: relativos, interrogativos, demonstrativos, etc

Estive numa festa que me encantou.

conjunções subordinadas (que, se, porque, conforme, embora, logo, quando etc.)

Quando me disse aquilo, fiquei nervosa.

Quando uso a ênclise? 

Quando a frase começa com verbo, quando há expressão de desejo ou ordem.

Deus te proteja! 

Empreste-me o carro.

E a Mesóclise? 

Somente com verbo conjugado no futuro 

O pronome se insere no meio do verbo.

Falarei te? Te falarei? Não! Falar-te-ei

Procurá-lo-iam se soubessem que estava perdido.

Vejam só o poema de Oswald de Andrade:

 Pronominais

  Dê-me um cigarro 

Diz a gramática

Do professor e do aluno

E do mulato sabido

Mas o bom negro e o bom branco

Da Nação Brasileira

Dizem todos os dias

Deixa disso camarada

Me dá um cigarro.

A exemplo do poeta, a Armadilha da Língua se solidariza com ele, pois não é possível decorar as regras, por isso a Armadilha se alia ao bom senso e ao uso coloquial para a fala: usemos a próclise. Em textos escritos... Ah, daí podemos nos valer da gramática normativa. 


Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711