38 anos.png
OPINIÃO

Redação e vestibular

'Aprendemos a escrever, escrevendo. Para fazer bons textos é necessário escrever e reescrever...'

Por Katia Zílio

?O texto de hoje, leitor, é um pedido antigo de alunos que sempre querem dicas para escrever a redação...

Nunca gostei muito de dar "dicas", pois a produção de um texto leva tempo e precisa mais do que dicas para que tenha sucesso.

A redação de vestibulares e de concursos sempre foi o "tendão de Aquiles" para muitos. Pensando em ajudar de alguma forma, deixo aqui algumas recomendações que talvez possam ajudar àqueles que se interessam em escrever e ter melhores resultados nos textos produzidos.

Primeiro vale a pena dizer que é importante termos repertório, isto é ter assuntos na cabeça para poder escrever. Ler jornal, revistas e livros; assistir à séries e filmes, jornais, programas de análise ou ainda sobre assuntos temáticos; ouvir músicas, podcast, etc, pode ajudar a compor repertório. Esse movimento não se faz de uma hora para outra, por isso a importância de ter hábitos relacionados à composição do repertório desde que já vislumbre que fará uma prova de redação. É claro que a composição de repertório pode acontecer com todos, a qualquer tempo.

De posse da prova, é necessário entender a proposta de texto que foi feita, isto é , precisamos compreender se está sendo solicitado uma dissertação ( texto argumentativo, carta aberta, artigo de opinião) ou uma narração (conto ou crônica). Geralmente, em alguns vestibulares, o candidato pode escolher, dentre as propostas, o tipo de texto que vai escrever.

Escolhido o tipo de texto, é importante pensar na estrutura. Geralmente, quando o texto é argumentativo (dissertação) pensa-se em um parágrafo de introdução, dois ou três de desenvolvimento e um último parágrafo de conclusão.

O início do texto deve situar o leitor sobre o contexto do assunto proposto, abordar a temática e sinalizar o que será argumentado posteriormente.

O desenvolvimento deve justificar, explicar, exemplificar, compor argumentos de causa e consequência, etc, que possam sustentar o tema. É a parte mais importante do texto, é o lugar que mostra o repertório adquirido na escola, nas vivências em sociedade e nas leituras realizadas.

Por conseguinte, o último parágrafo deve "fechar" o texto que pode ser realizado conduzindo uma proposta para resolver a problemática (modelo do ENEM) ou retomando os argumentos em forma de síntese.

(Imagem: Divulgação) /

O famoso "Deu branco" não pode ser aplicado à redação, pois o texto funciona como uma segunda prova e é sempre carregado de expectativas sobre o candidato: se sabe escrever, se tem argumentos, se os apresenta de forma progressiva, etc...

Então, borá lá escrever?

A Armadilha é não tentar... Aprendemos a escrever, escrevendo. Para fazer bons textos é necessário escrever e reescrever...


Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711