38 anos.png
OPINIÃO

Plural de substantivos compostos

Por Kátia Zilio

Sabe, leitor, flexionar as palavras é algo que aprendemos quando pequenos, pois verificamos o número, o grau e o gênero quando outros falam conosco.

Quando nos falam, por exemplo que há dois brinquedos, o plural começa a ser aprendido... O plural é uma maneira de entendermos a quantidade, por exemplo: "dois amigos" é diferente de "um amigo". O uso do S para marcar o plural nós aprendemos facilmente. Mas algumas palavras podem suscitar dúvidas:

couve-flor = couves-flor ou couves-flores?

Ambos estão corretos, pois quando as duas palavras forem substantivos, pode-se optar em colocar apenas o primeiro elemento ou ambos no plural: bomba-relógio bombas-relógio ou bombas-relógios, peixe-espada peixes-espada ou peixes-espadas.

Quando a primeira palavra for substantivo, adjetivo ou numeral, isso também acontece. Então: amor-perfeito amores-perfeitos gentil-homem e gentis-homens terça-feira e terças-feiras.

Quando a primeira palavra for verbo ou advérbio ou são palavras repetidas, só a segunda palavra vai para o plural: guarda-roupa guarda-roupas,

alto-falante alto-falantes, tico-tico tico-ticos


(Foto: Reprodução)/

Quando houver uma preposição entre as duas palavras só flexionamos a primeira: pé-de-moleque pés- de-moleque.

Dizer o plural, quantificar as coisas é também motivo de dúvida, mas a Armadilha da Língua é assim: uma força-tarefa em meio a tantas que estão por aí. Reforçamos as boas-vindas à língua e ao ano de 2021.

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711