38 anos.png
OPINIÃO

Lobos

'Hoje vamos abordar aspectos dos lobos frontais do nosso cérebro. E como cheguei até eles?'

Por Sulisia Westphal


(Foto: Divulgação)/

Quando ouvimos esta palavra ou nos remetemos ao animal, ou à Chapeuzinho Vermelho, ou ao lobo-guará, que anda circulando aí pertinho quase inofensivamente. Acertou? 

Na verdade, hoje vamos abordar aspectos dos lobos frontais do nosso cérebro e como cheguei até eles?

Férias quase finalizando pós-pandemia

O sol no esquecimento. O nublado e as intensas semanadas aquosas contribuem para uma incompletude sonhada para minimamente caminhar iluminada pelo sol, com máscaras e distanciamento à beira-mar. Necessidade para espairecer, repousar ou dar o devido descanso a mente, e desopilar das horas excessivas de trabalho remoto.

A sensação de ter que se esvaziar permanece

Acredito que o viver sob pressão do Covid seja um dos fatores. A pergunta dos pais sobre o retorno das aulas está em sintonia com o clima meteorológico. Ainda a insegurança e o medo sobrepõem a saudade da escola e a volta ao ano letivo.

Enredada nestes sentimentos, mais as informações sobre grande número crescente de crianças e adultos de pensamentos acelerados, deficit de atenção, impulsividade e hiperatividade/TDAH, e simplesmente "trancafiadas em seus redutos donde vem sobrevivendo a quase um ano", iniciei uma busca para justificar a função dos lobos responsáveis.

Nossos lobos

Há quatro lobos cerebrais: Lobo Frontal, Lobo Occipital, Lobos Temporais e Lobos Parietais, estes que tem funções especificas em todo o corpo. O Lobo Frontal que fica na parte da frente do crânio, é responsável pelo planejamento de ações, bem como o pensamento abstrato.

 "Se os lobos frontais do cérebro são usados em excesso, ele entra em processo de esgotamento e não trabalha direito", afirma o neurocirurgião Fernando Gomes Pinto, do Hospital das Clínicas de São Paulo. O médico explica que é como se existisse uma estrela dentro do cérebro, sendo cada ponta um aspecto da vida: profissão, estudos, lazer, relacionamento amoroso, família, bens materiais. Dedicando-se demais a um ou dois desses itens, a estrela se deforma porque falta energia e tempo para as outras pontas. Como resultado, surgem frustração, estresse e o cérebro literalmente entra em pane. A estafa mental é mais intensa e constante, como uma série de tensões (muitos motivos de estresse seguidos, por exemplo) que ultrapassa a capacidade mental de resolvê-las, provocando esgotamento do cérebro.

O que fazer por e para uma mente e corpo exaustos:

Dicas que podem auxiliar, uma vez que temos um corpo moldável e que, se devidamente treinado se adapta ao ambiente em que está inserido, mesmo em um contexto tão estendido e desafiador como o atual.

https://amenteemaravilhosa.com.br/treinamento-mental-exercitar-cerebro/

1. Praticar esportes e atividades físicas;

2. Treinar a memória de trabalho com atividades que exigem retenção da informação auditiva ou visual;

3. Sair da zona de conforto: passatempos desafiadores como sudoku, palavras-cruzadas, torto;

4. A leitura: ler desenvolve a percepção a memória, raciocínio, imaginação, criatividade ...

5. Viver em ambientes complexos e enriquecidos: com novidades que exigem mudanças;

6. Potencializar a criatividade: pintura, desenho, dança, teatro, música... Sair da rotina, conhecer novas pessoas;

7. Aprender idiomas: melhora a atenção seletiva, o hábito de trocar conteúdos mentais;

Pequenos prazeres

Quando identificados podem contribuir para o nosso cérebro, para o nosso lobo frontal. Ainda hoje escolhi uma escova dental reluzente e meu creme favorito. Mais uma pequena mania que pode favorecer a dopamina, que pode regular humor, estresse, controle de funções motoras, estimulação da memória, funções mentais entre outras.

O importante é buscarmos tentativas prazerosas que consigam nos esvaziar e nos motivar.

Desafio

Com chuva é possível caminhar com capa ou guarda-chuva. O que faz você sentir-se melhor?

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711