38 anos.png
OPINIÃO

Aprender em 2021

'Professora, você consegue me dizer quando a aula volta a ser 'normal'?'

PorSulísia Westphal Román


(Foto: Divulgação) / 

_ Professora, você consegue me dizer quando a aula volta a ser "normal"?

_ Meu filho tem TDAH - Transtorno do Deficit de Atenção e Hiperatividade. Não realizou as atividades em 2020 e se nega a realizá-las em 2021. O que fazer?

No primeiro questionamento não existe nenhuma data provável do retorno destas aulas "normais": os filhos um turno na escola diariamente. Os pais com disponibilidade de exercer seus papéis profissionais. As salas de aula com todas as carteiras ocupadas. Respondi, que pessoalmente acredito que nunca mais teremos àquela escola do início de 2020. Foram e estão sendo reinventadas tantas novas formas de aprendizagem, que a modalidade do Ensino híbrido, presencial e virtual nunca mais deixará de existir. As famílias tiveram que se reinventar encontrando novas formas de conviver com seus filhos em casa.

Quanto aos estudantes que apresentam resistência na realização das atividades, consideramos que em específico as crianças/estudantes com TDAH são àquelas sempre voando, perdidas, extremamente inteligentes, com milhões de ideias aceleradas e um vácuo entre a ideia e a realização das mesmas.

Em comum, as duas questões apresentam a importância da presença dos pais como promovedores de sentido para a aprendizagem. Todos estamos fora da zona de conforto e também precisamos reaprender a nos relacionar com diálogos, estímulos e organizações/combinados com cada filho. 

Dicas:

1. Combinados e cobrança na execução. Quem sabe estabelecer um tempo diário de comunicação olho no olho: Como você está se sentindo? Em que posso ajudá-lo? O QUE O INCOMODA, O QUE ESTÁ GERANDO A DIFICULDADE? O que é aprender e, porque se apropriar de conhecimentos é importante? O que realmente importa? Identificar suas habilidades e buscar o seu melhor. Objetivar ser um adulto mediador (Pai/Mãe/ Avó) que possibilite seu filho a provar a si mesmo que é muito inteligente, e necessita desejar querer aprender. Assim, com certeza, ampliará sua parceria entre família e escola.

2. Construir uma agenda diária, os dois juntos, e estabelecer pelo menos um tempo obrigatório e acompanhar a sua execução e apurar se o objetivo que construído foi alcançado. Por exemplo: hoje é Matemática e História. Você vai ter que acompanhar e dar o feedback. Sempre que possível, elogiando, apresentando os reais motivos para a realização da atividade..

3. Quando deparamos com muitos conteúdos, por isso não pode acumular, precisamos articular movimentos para que o pensamento acelerado, mais a ansiedade, a falta de foco sejam "lentificados."

4. Se o adulto conseguir se organizar para acompanhar seu filho, e investir uma parte de seu tempo para ele, a maior dificuldade pode ser detectada e amenizada em contato com a escola/professor. Vídeos ou áudios podem ser estímulos transformadores.

VOCÊ PRECISA PRIORIZAR UM TEMPO PARA ACOMPANHAR de perto seu filho, SENTADO (A) AO SEU LADO, que ele necessita no momento. 

Venho acompanhando histórias de vida de estudantes em que estar ao lado conseguiu promover transformação e consequente interesse e autonomia. Uma vez a autoestima "flechada" bons resultados virão. 

5. O excesso de pensamentos/ derivação de pensamentos, cria bloqueios para atender a demanda nas propostas solicitadas. O papel dos pais é ajudá-lo a filtrar e estabelecer pequenas prioridades/metas e cobrá-las.

O TDAH tem um potencial incrível aumentando a corresponsabilidade das pessoas em seu entorno na canalização para ações pré-estabelecidas. 

Disciplina. Rotina. Organização visual e, principalmente planejar o dia seguinte e executar.

Importante também é você ter certeza que juntos alcançarão as expectativas planejadas. Mostre que você está disposto a ajudar! Paciência!


Bônus:

Dicas para estudar em casa em tempos de distanciamento social

Como ajudar meu filho a estudar? Confira 5 dicas!




Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711