38 anos.png
OPINIÃO

Oba!

'Todos temos um poder incrível para fazer as pessoas felizes'

Por Sulisia Westphal


(Foto: Divulgação)/

Oba!? Lembrou de ter ouvido esta expressão recentemente? Em uma breve passagem pela memória, nenhum arquivo encontrado que me remetesse ao sentimento. No impulso, realizei uma enquete instantânea ouvindo algumas pessoas próximas. Nenhuma com memória recente sobre seus OBAS! Teve até um EBA! A amiga justificou que a vida está tão entediante, tão sem graça em seu quase um ano de confinamento, (de risco) que qualquer motivo já faz ecoar um EBA!

Na sensação de reviver o início da pandemia, quando sendo de risco apenas contemplava os movimentos pela janela, recorri a um impresso de Luiz Ricardino/ Saída de emergência. Acreditei que ali encontraria pistas para amenizar as sensações quando temos várias pessoas conhecidas enfrentando a falta de UTIs, ou quando permanecemos na torcida pela alta hospitalar de outros, ou ainda, nos solidarizamos com os familiares de quem não resistiu.

Assim encontrei um OBA distinto:

Observe o que ocorre.

Balanceie as polaridades, veja sempre os dois lados do problema.

Ame, porque somos nós que atraímos as situações.

Sinta, depois pense. Enquadre o sistema OBA - Ricardino - para lidar com o seu contexto.

No observar, o efeito empatia e a lupa imaginária em busca de motivos simples para agradecer e reconhecer os "Obas escondidos" podem evocar uma infinidade deles.

Na perspectiva de potencializar o hábito de considerar os dois lados de um problema, tende a amplificar e diversificar as possibilidades. Nesta perspectiva, somos capazes de inverter uma situação constrangedora e injusta em aprendizado, de tal maneira a diagnosticar um aspecto favorecedor oculto e replicá-lo. Desta forma deletando a situação anterior.

A qualidade de nossos pensamentos e as consequentes intencionalidades podem identificar várias formas de demonstrar amor e possibilitar outros "OBAS". Todos temos um poder incrível para fazer as pessoas felizes:

Um telefonema/escuta, uma mensagem personalizada, um elogio, uma devolutiva de uma postagem, uma oferta/disponibilidade de ajuda, dicas argumentativas de uma série/filme, uma imagem, uma memória realizada em outros tempos, um partilhar de experiências recentes, se sonhos, pedidos de orações e vice-versa, links de música, um simples "Como vai?", uma videochamada, uma reunião pelo meeting juntando pessoas, entre tantas outras sugestões, podem ser potencializadores assertivos de OBAS.

Dicas testadas e experienciadas em minha breve enquete, o que amplia minhas vibrações até você. Que muitos EBAS e OBAS possam ser identificados e estendidos entre os seus queridos.

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711