38 anos.png
OPINIÃO

As multipotenciais

Por Sulisia Westphal


(Foto: Sulisia Westphal)/

Escolhi entre muitos registros a imagem que melhor representa as mulheres em 2021. A foto de uma palmeira solitária que surpreendentemente buscou a luz entre edifícios chegando até o quarto andar.

Como pode a mulher multipotencial/eclética 2021 ser comparada a uma altiva palmeira que resplandece o verde da vida nas alturas embelezando o azul ensolarado?

Ouso perceber-me entre elas. Ainda impactada pelas inúmeras facetas impreterivelmente agregadas em 2020, quase sufocada pela indescritível profusão de conhecimentos, seguimos em movimentos simultâneos. Tantas vezes com sintomas de fobia em comprometer-se, de inquietudes e anseios diante das inovações que urgem nas áreas em que cada uma de nós está inserida e sendo arrastada.

Sorte quando prosseguimos vislumbrando o alto, no embalo das necessárias flexibilidades, em busca de luz para nortear as escolhas, as articulações, o ser e o fazer. Quando encontramos espaço para refletir sobre nós mesmas, sobre o que está bom, o que pode melhorar. Algumas vezes ainda encontrando formas de romantizar e poetizar o cotidiano, nos fortalecendo como "seres plurais".

Sob máscaras, encharcadas de álcool gel, ainda sob pressão, vamos nos reconhecendo e explorando as emergentes potencialidades/habilidades que nos moldam sob o sol, ou sob a chuva, online nas reuniões de meeting, ou nas videochamadas, ou ainda, presencialmente onde precisamos estar: em casa, no trabalho ou em qualquer espaço emergencial.

Nos relacionamentos vamos sobrevivendo, buscando transformar em possibilidades o que nos desconcerta, o que nos afronta, fortalecendo as parcerias. Oras em algum lugar do passado, oras em um futuro tão sonhado. Momentos mergulhadas em ficções, em dramas circunstanciais, e até mesmo em romances...

Como a altiva palmeira, cuidando para não ser asfixiada pelo meio, pelas críticas, pelas incompreensões, pela falta de tato em dar conta do todo, conseguindo aspirar e inspirar forças na fé, nos sonhos, nos planos adiados, nas perspectivas, na curiosidade, na criatividade, nas suas habilidades, permanecer altiva e bela.

Nós, as mulheres, as mães, as filhas, as netas, as amigas, as colegas de trabalho, as namoradas, vamos nos abastecendo saudavelmente das boas opções paralelas.

Assim, desejo que a sabedoria encontre espaço para delinear as boas escolhas, que a façam feliz, e principalmente, agradecida por ser quem é e por conseguir atrair a abundância de bons pensamentos e consequentes sentimentos.

Que em meio a tantas restrições consiga sentir-se um imã que atraindo bons ventos/relacionamentos sinta-se no alto, iluminada e embalada pelas suas conquistas. Bom desempenho pessoal.

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711