38 anos.png
OPINIÃO

Pequenos atos

Por Sulisia Westphal

?Como podemos prover algo que àquela determinada pessoa esteja precisando exatamente agora?

Logo pensamos em orações, pois com certeza conhecemos alguém muito próximo que está com suspeita ou com o vírus, ou em uma fila guardando um lugar, ou então vivendo a dor da perda de um familiar.

Na verdade, hoje gostaria de oportunizar uma lista de pequenos atos que pudessem transformar nossas mentes, nossas emoções e as de que for usufruí-los. Em algumas cidades, estamos vivendo o terceiro final de semana sem opções fora de casa, e precisando inexoravelmente cuidar da nossa sintonia, de nossos bons pensamentos, sentimentos, alegrias, gratidão, ou expectativas animadoras.

Entre as primeiras coisas que pensei está em escrever uma carta/e-mail para alguém específico. Dias atrás perdi o sono, o que é raro, por estar inquieta pelas realidades das famílias de crianças com laudo, tanto tempo em casa. A carta foi uma maneira de tentar ampliar o olhar dos profissionais envolvidos e assim amenizar a inquietude e oportunizar novas formas de ações e reações.

Doar anonimamente uma quantia em dinheiro. Acredito que o pix veio como um favorecedor. Aqui não me referindo a grandes quantias, mas uma surpresinha sempre ajuda a mudar a sintonia emocional.

Para quem gosta de flores, elas são ainda acessíveis. Quando tocamos a campainha e deixamos uma flor para alguém? Podem ser flores de seu jardim. Podem ser frutas, verduras... Tantas ideias simples que podem fazer alguém sorrir, fazer muito bem à alma.

Fazer um prato, um suco ou um drinque natural, ou até mesmo bolachinhas caseiras que fará bem a outrem e compartilhar uma parte, com os devidos cuidados que o momento requer.

Tele entrega surpresa. Ainda existem muitos itens surpreendentes e econômicos.

Uma vídeo chamada, uma foto de sua janela do aqui e agora.

Uma foto das antigas, quando as crianças eram pequenas, ou um momento que faz muito bem.

Uma sinopse de uma série motivando outras pessoas: "O Gambito da Rainha"ou músicas de filmes: John Barry.

Abrir o piano e reavivar a mente com partituras.

Dar uma remexida na terra dos vasos e renovar algumas plantas.

Resgatar a caixa de tintas e pintar uma tela significativa.

Elaborar uma lista da somatória de inquietudes dentro de casa e ter o prazer de ir riscando uma a uma ao conseguir realizá-la.

Agendar um tempo para reorganizar o drive e as imagens do notebook e do celular.

Escolher uma pessoa para a qual você vai agradecer por algum detalhe quase esquecido.

Registrar um elogio para alguém da família.

Criar um áudio/vídeo para as crianças/ netos, sobrinhos que não vemos de perto a algum tempo.

Percorrer armários, separar roupas e ou objetos, preparando uma sacola para doação.

 Elaborar uma lista de sonhos para logo mais!

"Dar pode ser às vezes mais doce e mais puro quando nenhum cartão ou assinatura acompanha o presente".

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711