38 anos.png
OPINIÃO

Ambiente virtual e as escolhas

Por Sulisia Westphal


(Foto: Divulgação)/

Quem ainda não experienciou uma reunião ou aula pelo meet?

Está lembrado como tudo iniciou? Quantos ajustes? Tínhamos que nos familiarizar com o abrir e fechar do microfone e da câmera, como localizar e participar do chat, da lista de pessoas envolvidas. Em seguida, tantas outras familiarizações: como agendar uma reunião, dar o nome ao evento, escolher o horário, enviar os convites. Logo mais vieram os aperfeiçoamentos: Como fazer uma apresentação compartilhando a tela de seu computador ou drive, como ampliar a visualização de todos os participantes.

Ampliando

O processo de utilização do ambiente virtual também foi obrigatoriamente sendo estendido para as famílias dos estudantes e para os estudantes propriamente dito.

Assim também foram surgindo as imensuráveis lives tanto de shows quanto de aulas e apropriação de conhecimentos.

A facilidade de todos os profissionais das escolas poderem estar conectados em simultâneo, ou nas diferentes áreas está sendo um facilitador, principalmente nos momentos de planejamento colaborativo. Quem está à frente consegue compartilhar e impulsionar os demais colegas professores, estudantes e respectivos familiares. Todos seguem aprendendo.

Na atual conjuntura necessitamos nos apropriar cada vez mais dos recursos e ferramentas disponibilizadas gratuitamente por e para uma qualidade educativa onde emergem aspectos importantes a serem considerados.

o Relevar as alterações nos padrões de comportamento tentando contextualizar-se quanto a eventuais condições familiares: desemprego, perda ou internação de familiares, saúde emocional abalada, adoecimentos, baixa renda, vulnerabilidade social entre outros. Ex. Que característica/acontecimento seus você gostaria que os colegas conhecessem?

o Considerar a capacidade de concentração virtual em tempos de pandemia oportunizando encontros do tipo rodas de conversa, propiciando a interatividade, ouvindo e trocando, sugerindo reorganização de tempo e espaço nas rotinas em casa. Quem chegou novo na turma?

o A dosagem adequada entre correções de conteúdos anteriores, temas novos e tempo para escuta.

o Muitos estudantes passam a maior parte do tempo sozinho ou com os irmãos e necessitam de espaço para aprender sobre a importância do chat, do abrir e fechar o microfone e a câmera, bem como ir compreendendo o momento de se pronunciar levantando a "mãozinha".

o O que os pais não acompanham? O que existe para monitorar o controle de tempo nas telas? Qual a melhor forma de conciliar trabalho e atividades escolares?

o Oferecer momentos de tirar as dúvidas, de compartilhar angústias, inseguranças, reconstruindo mesmo de forma online a crença no coletivo escolar e social.

o Parceria escola X família: O que está indo bem? O que pode ser melhorado?

o Momentos para apresentar as descobertas investigativas recentes bem como a sua utilização.

Ensino remoto uma continuidade ainda sem fim. Crianças, adolescentes e adultos com muita saudade de convívio. Com carência de saber mais sobre seus colegas de turma, sobre seus professores e de se fazer conhecido.

1ª Dose: Escutar

2º Dose: Deixar falar.

# Dose: ESTUDAR PARA QUÊ! Dar sentido para.


(Foto: Divulgação)/

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711