38 anos.png
OPINIÃO

Dois Lados

'Conflitos acontecem entre pessoas que se amam!'

Por Sulisia Westphal


(Foto: Divulgação)/

Conflitos acontecem entre pessoas que se amam!

Por que duas pessoas gritam estando perto? Porque os corações estão distantes.

Será possível despir-se de papéis em tempos de distanciamento? De papel de avó, de neto, de madrinha, de afilhado, de filha, de irmã, de tia, de mãe, de mulher, de profissional. Por que esta conexão não pode ser de mão dupla? Será que o adulto fica na espera por demonstrações afetivas, ou ao contrário? Se os afilhados cresceram e se distanciaram o que faltou para o contato permanecer atualizado?

Estas reflexões percorreram a minha mente quando no final do domingo fui surpreendida por uma foto recebida pelo whatsapp de uma das minhas netas, Betina, quando passeava na Beiramar ao entardecer.

Lembrou da Avó e agiu clicando uma selfie.

Em seguida vieram as autocobranças: Neste período de distanciamento ainda tão estendido, o que venho fazendo para manter nossos laços afetivos e o que posso ainda criar/fazer pelos meus queridos?

Avós e netos! Um clique enviado pode emocionar, fortalecer. O que poderá ser interpretado a partir do flash recebido? O que está ali contido? Saudade, vontade de estar junto, de estar perto, de prosseguir nas habituais programações antes da pandemia, ou até mesmo uma homenagem pela 1ª dose da vacina.

Uma chamada de vídeo é capaz de amenizar a saudade dos tempos de convívio. Pequenos gestos são capazes de desnudar corações humanos quando algo nos tira a paz.

A vida não é isenta de conflitos. Muitas vezes, conflitos com nós mesmos, com palavras ditas, ou não ditas, com reações a ataques que nos causam mágoas, ofensa ou dores e sofrimentos.

Bendita seja a pessoa que em tempos atuais consegue expressar e publicar seus sentimentos. E a nós, quantas vezes é desafiador julgar e aceitar decisões que divergem das nossas.

Feliz de quem consegue um tempo para se ouvir e detectar o que vem afetando a sua forma de viver permeadas de angústias e perturbações.

Estamos mais sensíveis!

Precisamos encontrar formas de articular e viver nossos conflitos de forma saudável amenizando a gama de inquietações e tentando catalogar e ampliar o universo de coisas boas que também acontecem a nossa volta.

Sabedoria no viver! Todos os acontecimentos e sentimentos tem dois lados. Perspicácia para identificá-los.


Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711