38 anos.png
CarlosHomem.jpg
OPINIÃO

Redes sociais

'Escrevem qualquer asneira apenas porque querem interagir'


(Foto: Divulgação) /

As redes sociais são na verdade um vício inevitável destes tempos. Por mais que se tente evitar, não é fácil ficar longe de um celular. Queremos sempre saber das últimas notícias, e de preferência, em primeira mão. Mas, porque compartilhar e fazer ali seus próprios comentários tá na mão, as pessoas escrevem qualquer coisa ao sabor do momento. E tome que tome besteirol! A maioria nem mesmo sabem do que estão falando.

Escrevem qualquer asneira apenas porque querem interagir. Daí, somos obrigados a ler comentários infames, desconexos e babacas. Além da macaquice. Se alguém utiliza uma expressão nova, tal como "negacionista", a palavra se dissemina. E dele "negacionismos" por aí afora. Ou "terraplanistas". Denominam esta ou aquela pessoa, principalmente políticos de terraplanistas, na maioria das vezes sem saber o que significa.

Na verdade, a tecnologia é apenas o meio, mas a propagação da mentira e do exibicionismo é dos internautas. Então as mensagens falsas, exatamente por serem falsas, oferecem um sabor de novidade a que ninguém resiste. Depois vêm os desmentidos, que deixam rastros de mágoas e ressentimentos.

É inevitável. O sucesso das falsas notícias está diretamente relacionado com os sentimentos mais sombrios da natureza humana. O símio primitivo que reside em cada um de nós pula de excitação ou de rancor quando vê uma inconfidência. Bicho esquisito esse tal de ser humano. Tem certo gosto pela violência.

As redes sociais despertam aquele prazer mórbido. É um circo bizarro, prendendo-nos na tela. Então o jeito é compartilhar linguagens estranhas, modismos sociais, conteúdos de pensamentos distorcidos, roupas, dilemas, mulheres gostosas, machos produzidos, banalização do sexo, traições sentimentais, agressões ao presidente, etc. Mas, todo vício cria sequelas. Estamos emburrecendo cada vez mais. Dá preguiça de ler um bom livro, de manter uma conversa de conteúdo com um amigo qualquer. Está tudo na Internet!

Não vamos perder tempo! O negócio é ficar vendo naquela minúscula telinha o desfile de ninfetas desletradas exibindo seus corpinhos malhados, e babacas do Facebook desrespeitado o presidente com o uso de termos copiados da mídia, tais como "negacionista", "terraplanista", "genocida", e outras tolices mais. As redes sociais permitem que cada pessoa se liberte dos velhos constrangimentos morais ou cívicos para se revelarem em toda a sua nudez.

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711