38 anos.png
OPINIÃO

Eles te tocam e não se tocam

O corpo da mulher pode ser mandado e desmandado


Em meio a uma pandemia, tornados, ciclones e explosões, 2020 ainda consegue surpreender negativamente com ações dos seres humanos. Parece que "só" tragédias climáticas não são o sufi ciente. Na última semana, o mundo acompanhou uma inocente criança de 10 anos se tornar a vilã de uma história, que só esteve envolvida porque é mais uma das três crianças abusadas sexualmente por hora no Brasil, e que só foi descoberta, porque a pequena menina engravidou do seu tio abusador, que agia há quatro anos. 

Não bastasse uma pandemia, tornados, ciclones, explosões e 72 crianças abusadas diariamente, após a gravidez tomar repercussão nacional, acompanhamos uma enxurrada de pitacos embasados em achismos sobre o futuro da criança e sua decisão de seguir ou não com uma gravidez muito mais que indesejada, mas cheia de traumas e fruto de um crime. De ponto em ponto, a sociedade conseguiu fazer da vítima a criminosa por ter conseguido - pela própria lei - retirar o feto. 

E o que temos? Uma sociedade vergonhosa que continua acreditando que o corpo da mulher pode ser mandado e desmandado por qualquer outro ser humano, seja abusando sexualmente, obrigando a parir, ou impondo padrões. Parece que esqueceram que a história toda começou, porque um homem ESTUPROU uma criança de 10 anos, e que aí está o criminoso. A criança continua como vítima, inclusive porque justiceiros de plantão honraram seus ideais religiosos e divulgaram a identidade da vítima - que pela própria lei jamais devia ser compartilhada. 

De pitaco em pitaco e ideais embasados em achismos, acredito que o retrato da nossa sociedade nunca esteve tão bem representado: com valores invertidos e machista fantasiados de bons moços. Está tudo errado.

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711