38 anos.png
OPINIÃO

Buscando a paz


(Foto: Divulgação)/

Muitas vezes nos perguntamos, como alcançar serenidade, de maneira a ultrapassar os percalços de nosso dia-a-dia?

Importante colocarmo-nos no lugar daqueles que imaginamos os geradores de irritação para conosco.

Se fôssemos o chefe de nosso grupo de trabalho, atormentado de problemas e conflitos, talvez demonstrássemos mais duras condições de intemperança mental;

Caso estivéssemos na condição de subalterno, passando por difíceis problemas domésticos, é provável evidenciássemos mais lentidão no serviço a fazer;

Se considerarmos a ocasião de sermos o doente que nos incomoda, certamente nos reconheceríamos mais tolerantes para com o sofrimento alheio;

Na hipótese de havermos sofrido as longas tentações da criatura julgada em erro, é possível houvéssemos descido a mais baixo nível;

Se nos colocássemos na posição enfermiça de quem nos ofendeu, talvez tivéssemos ferido com mais vigor;

Analisemo-nos, através das lentes da introspecção, e reconhecer-nos-emos imensamente distantes da condição de anjos. Isso nos ensinará que os companheiros com os quais convivemos, nem sempre conseguirão apresentar, por enquanto, qualidades que ainda não possuímos e, raciocínios mais profundos nos farão sentir a necessidade de calma e tolerância de uns para com os outros, em todos os momentos inquietantes da vida.

Baseado no Livro CALMA/Emmanuel.


Conexão master site.png

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711